Economia

FGTS: Caixa paga até R$ 500 para nascidos de setembro a dezembro

Para os trabalhadores não correntistas da Caixa, o pagamento do FGTS começa no dia 18 de outubro
(Foto: Agência Brasil)

A Caixa paga até R$ 500 reais nesta quarta-feira (9) o FGTS de trabalhadores correntistas nascidos de setembro a dezembro. Segundo o banco, o valor será depositado automaticamente na conta poupança dos clientes.

De acordo com a Caixa, o crédito automático do FGTS só está sendo realizado para quem abriu conta poupança até 24 de julho de 2019. O banco estima que cerca de 33 milhões de trabalhadores receberão o crédito na conta poupança.

Os clientes do banco que não quiserem retirar o dinheiro têm até 30 de abril de 2020 para informar a decisão em um dos canais divulgados pela Caixa: site, Internet Banking ou aplicativo no celular.

Trabalhadores não correntistas recebem a partir do dia 18 de outubro

Para os trabalhadores não correntistas da Caixa, o pagamento do FGTS começa no próximo dia 18 e segue até março de 2020, conforme a data de nascimento dos beneficiários. As liberações seguirão o seguinte cronograma:

Como saber o valor disponível para saque?

Para saber os valores disponíveis para o saque, os canais de recebimento e as opções de crédito em conta, é necessário acessar o site da Caixa e informar número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), do Número de Identificação Social (NIS), do Programa de Integração Social (PIS) ou do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) e a data de aniversário.

Os saques de até R$ 100 poderão ser feitos em casas lotéricas, com apresentação de documento de identidade original com foto e número do CPF. Será feita a leitura da impressão digital no momento do saque.

Para quem tem cartão Cidadão e senha, o saque poderá ser feito nos terminais de autoatendimento, em unidades lotéricas ou correspondentes Caixa Aqui. Quem não tem o cartão Cidadão deve procurar uma agência da Caixa.

Saque aniversário

Outra modalidade de saque do FGTS, válida para o próximo ano, será o saque aniversário. Os trabalhadores interessados em migrar para esse modelo, que permite a retirada de parte do saldo a cada aniversário, já podem comunicar à Caixa.

Ao confirmar essa opção em um dos canais divulgados pelo banco, o trabalhador deixará de efetuar o saque em caso de rescisão de contrato de trabalho. Quem fizer a mudança só poderá retornar à modalidade anterior após dois anos da data da solicitação à Caixa.

Caso o trabalhador não comunique o interesse no tipo de saque, a regra da rescisão será mantida. A decisão de migrar para a modalidade do saque aniversário não anula a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa.